26 junho 2017

Wedding Plan #3 - 6 dicas para a lua-de-mel!

 Depois de passarmos meses em modo bridezilla só queremos que chegue o casamento e depois, como recompensa de tanto trabalho e cansaço, a lua-de-mel! É o nosso prémio por organizar o evento da nossa vida, seja ele maior ou mais pequeno. Dá trabalho, sim senhor. É um dia mágico, sim senhor. Mas que levamos os últimos três meses a desesperar pela lua-de-mel também é verdade verdadinha! Eu que o diga pois só me imagino estendida num areal branco a emborcar caipirinhas e mojitos de 15 em 15 minutos. Quem diz a verdade não merece castigo!

 Adiante, deixemo-nos de mimimi e passemos ao que nos traz aqui hoje: 6 dicas para escolher a lua-de-mel!



1. Defina o orçamento

 Como em tudo o que planeamos no nosso casamento, também a lua-de-mel carece de um orçamento realista. Se só tiverem orçamento para irem até Palma de Maiorca durante 5 dias não se aventurem em viagens de 7 dias pelas Bahamas. Sim, as Bahamas estão-me atravessadas mas, lá está, o orçamento não me permitiu embarcar em aventuras para essas bandas. Se não podemos voar alto é preferível que nos mantenhamos por terra.
 Para quem decidiu que a viagem de lua-de-mel não é uma prioridade pode esperar pelo dinheiro recebido no casamento para re-pensar o destino e partir à aventura. É a vossa lua-de-mel, não importa "quando" nem "como" mas sim "com quem"!
 Ah, podem fazer aqui como a Ana que criou lista de casamento na agência de viagens e quem quiser contribuir para a nossa felicidade e mojitos à beira-mar pode fazer a sua contribuição. 

2. Escolher o destino a dois

 Esta segunda parte tem muito a ver com a primeira, claro está. Depois de um orçamento definido, chega a hora de escolher o destino. Se eu gosto de praia e o noivo nem por isso fica um pouco complicado escolher destinos onde o programa seja "beach all day". Se o noivo é dado a viagens mais cosmopolitas e eu começo a abrir a boca de 5 em 5 segundos depois de pôr um pé no museu, tem tudo para correr mal. Mas tenho a certeza que se tiverem gostos semelhantes ou que se possam encaixar vão encontrar um destino que satisfaça o vosso gosto. A falar é que nós nos entendemos e façam uma lista, separada, de destinos que gostariam de ir. Se não tiverem nenhum destino em comum têm a vida mais dificultada, se tiverem um ou mais destinos em comum podem então estão no bom caminho. 

3. Não deixes para amanhã a viagem que podes marcar hoje!

 Ah pois, fazer as coisas em cima do joelho pode causar confusão. A minha sugestão é que marquem com pelo menos 6 meses de antecedência. E porquê? Porque conseguem preços melhores, conseguem ter mais tempo para comparar entre agências qual o preço mais convidativo. Além do mais, se forem para países de clima tropical, convém que tratem do passaporte (não vão querer pagar a taxa de urgência) e que recorram a uma consulta do viajante pois dá muito jeito. 

4. Façam um plano da viagem e comprem passeios com antecedência

 Isto vai depender muito do vosso gosto e se querem realizar passeios ou não. Eu acho que devemos explorar o máximo possível e guardar um ou dois dias para actividades que são sempre divertidas e ficam para sempre na nossa memória. Ao final de dois dias de papo para o ar a apanhar com o solinho no esqueleto queremos um pouco de agitação e de fazer coisas diferentes, interagir com os habitantes locais, fazer umas comprinhas (de recuerdos para a família, não é meninas? :p) e conhecer outras coisas para além da praia, do quarto de hotel e do salão de buffet. Os hotéis têm esses tours/actividades à vossa disposição e podem comprar quando chegarem ou comprar online para evitar filas nas férias. 

5 . Fazer a mala com algum tempo de antecedência

 Se eu para o Algarve demoro 3 dias a fazer a mala, se vou para o outro lado do Mundo sei que vou ter que começar com 1 mês de antecedência. Não sou louca, sou prevenida. E isso tem-me salvo de muitos dissabores. 
 Sabem que existe a possibilidade da vossa mala ir parar a outro país e só vos chegar 3 dias depois não sabem? Não tem que acontecer mas PODE acontecer. E o que eu sugiro? Que na bagagem de mão levem uma muda de roupa, uns chinelos, um bikini e umas amostras de champô/gel duche/creme hidratante e protector solar. Para vocês e para a vossa cara metade que se acham os machões de serviço e não precisam dessas porcarias! É só até começarem a transpirar que nem uns dromedários, a roupa a colar ao corpo e os ténis a emanar cheiros absolutamente demoníacos. Eles vão gostar de vestir uma t-shirt familiar ao invés de uma que diga "I Love Maldivas" ou "Sobrevivi ao Furacão Muchacho 2017". Não há necessidade alguma disso e ainda poupam uns trocos. 
 Não esquecer dos carregadores dos gadgets todos, dos adaptadores de corrente e de tudo o que achem que vos pode salvar a vida lá do outro lado do oceano. Vejam também se o vosso seguro de saúde abrange despesas no estrangeiro para o caso de ser preciso. 

6. ...and HAVE FUN! 

 Esta é a parte obrigatória! É o vosso momento, aquele pelo qual esperavam há muito. Aproveitem e não levem preocupações com vocês na bagagem. Deixem a vossa casa e animais (caso tenham) a cuidado de três ou quartro pessoas, isto para não sobrecarregar uma única pessoa. Distribuir o mal pelas aldeias, é essa a ideia. Evitem ligar 12 vezes por dia a perguntar se a torneira estava a pingar, se deram duas voltas à chave, se tiraram o correio, se deram o snack especial ao Bobbi e se escovaram o tareco. Quem ficou com essa tarefa não vai achar piada e só os vão enganar uma vez.
 Aproveitem e abstraiam-se das redes sociais! Partilhem o necessário, apenas e somente isso. 
 Se a vossa viagem foi um presente fica bem tirarem uma fotografia na paisagem e enviarem como postal de agradecimento às pessoas envolvidas. Mostrem o vosso melhor sorriso e partilhem a felicidade com aqueles que vos são mais queridos! 
SHARE:

1 comentário

  1. E agora fiquei curiosa para saber qual o destino que escolheste! ;)
    Beijinho
    Cris

    www.lima-limao.pt

    ResponderEliminar

Blogger templates by pipdig