24 novembro 2015

Redes sociais e Companhia

  O post de hoje é um desabafo e sobretudo um apelo à etiqueta nas redes sociais. Posso com isto criar alguns inimigos que não achem piadinha nenhuma ao que vou escrever porque se revêm em cada palavra mas temos pena. Por outro lado, de certeza que muitas outras pessoas vão concordar e já passaram por uma ou outra situação. Vou falar de mim, enquanto pessoa que possui um blog (não sou blogger, não ganho nem um cêntimo com isto.) e das situações que já me aconteceram e que me passam diariamente à frente dos olhos.

Vivemos na era das redes sociais. Permitimos que a comida fique fria até encontrarmos um enquadramento catita para mostrar o pequeno-almoço arrojado, o almoço no italiano ou o jantar no sushi. Perdemos cinco minutos pela manhã a fazer uma pose em frente ao espelho para mostrar o outfit do dia (contra mim falo).
 Existem coisas por essas redes sociais fora que me irritam solenemente.

 Quando decidi criar o Anna foi mesmo na desportiva. Não tenho a mínima intenção de fazer disto vida e tenho um trabalho que me dá sustento, graças a Deus. Nunca me foquei nos números, fossem eles monetários (as parcelas estão a zero porque, como já disse, eu não ganho nada com isto), no contador das visitas ou no contador de likes do facebook. Gosto de ter quase 4000 gostos? Claro que sim, não sou hipócrita mas não centro o meu trabalho em redor de números. Poderia receber mais propostas de marcas se tivesse um contador com 10.000 gostos? Muito provavelmente.
O meu principal foco são as pessoas e o conteúdo. Enquanto não achar que o conteúdo está ao nível daquilo a que me propus não posso pensar em arredondar os números de seguidores. Não conseguimos aquilo que queremos, conseguimos aquilo pelo qual trabalhamos e lutamos.
 Felizmente fui aprendendo o funcionamento das redes sociais ao longo dos anos e tive a preciosa ajuda de alguns entendidos na matéria. Espero sinceramente que o que vou escrever a seguir possa ajudar alguém para não cometer estes erros duas e três vezes.

"Ah e tal que fotografia tão gira. Vou fazer print-screen e usar."

 É que era um estaladão muito bem dado na cara. Existe uma coisa muito engraçada que se chama direitos de autor e imagem. Eu partilho algumas fotografias que não são minhas pelo blog. Mas o que é que eu faço? Coloco o nome e o link da fonte da imagem (por favor, não é o link da pesquisa google). São imagens de inspiração mas pertencem a alguém: a quem fotografou e a quem aparece na imagem.
 Já me aconteceu percorrer alguns vídeos no youtube e dar de caras com o vídeo de um rapazinho que comprou maquilhagem e fez um review. Tudo certo até aqui. A imagem de apresentação é uma imagem minha, que eu fotografei. É uma fotografia minha da caixa de cartão dessa loja online de maquilhagem.
Um conselho para esse menino que gosta de maquilhagem mas que também deveria gostar de enviar e-mails a perguntar se pode usar as fotografias: levanta o rabiosque da cadeira e tira as tuas próprias fotografias, é simples e bonito. Dá trabalho, lá isso dá.

"Envias-me um produto e eu falo bem."

Quando tive a minha marca de costura, recebia mensagens destas a pontapé. Eu enviava um produto e as ditas bloggers falavam bem e ainda me faziam o favor de fazer publicidade à marca. Até que respondi a uma menina que não precisava de enviar borlas a ninguém. As minhas clientes pagavam e ainda falavam bem. Publicidade à minha marca? Eu tinha 6000 gostos e elas 300, quem fazia publicidade a quem mesmo?
 As marcas que me contactaram desde que tenho o Anna eram marcas que eu já conhecia antes do blog e por isso nunca falei bem de nenhuma delas só porque sim, nunca pedi que me enviassem o que quer que fosse. É para isso que têm um blog? Para receber borlas? Uau.

"Deixa cá invadir a tua página e partilhar o meu trabalho sem autorização."

 Eu comparo isto à seguinte situação: eu tenho uma loja de roupa e o dono da loja do lado entra lá e tenta vender a sua camisola às minhas clientes. Falta de brio e profissionalismo.
 Eu tenho a página de facebook onde divulgo o blog e nunca ninguém me viu invadir outra página para divulgar o meu trabalho. A página é minha e eu divulgo aquilo que eu quiser. Quem publicar é instantaneamente eliminado. Partilho as páginas que têm interesse para mim, não porque me imploram.

Instagram: o texas das redes sociais

 Existem manobras no Instagram para tentar captar novos seguidores - e não só - que me deixam parva. Tipo:

 - Gostar de 50 fotografias minhas com a esperança que eu vá lá, coloque 10 gostos e comece a seguir a pessoa. Tipo naquela onda do agradecimento e generosidade.

 - Começam a seguir-me e como não sigo de volta deixam de me seguir passados 10 minutos. Só faz falta quem está amores, continuem a seguir as vossas 5000 pessoas e eu fico bem.

 - Deixam de seguir e colocam gostos nas minhas fotos. São fãs. Dão-se ao trabalho de digitar o meu nome de utilizador todos os dias só para ver as novidades.

 - Usam o meu nome para participar em passatempos. Isto ferve-me o sangue. Pessoas que não são minhas amigas e não me conhecem minimamente para usar o meu nome. Destino final: utilizador bloqueado.

 - Pessoas que vão cuscar o meu feed e sem querer deixam lá o gosto e depois retiram. Oh fofinhas, eu recebo as notificações. Deixem-se disso.

 - E aquelas bloggers que se acham "o último grito" e comentam todas as fotos de todas as bloggers conhecidas sempre da mesma forma? "Adoro!" é tipo copy-paste. É só para os seguidores dessa dita blogger conhecida encontrarem o nome delas no meio de 200 comentários e acharem que secalhar até é boa ideia seguir o instagram. Sigo muitas bloggers, aquelas com as quais me identifico, e não coloco gosto em tudo e comento sempre. Nem sempre gosto e nem sempre tenho algo para dizer. A arte de bajular não é comigo.

 - "FollowMe" - É já a seguir, espera lá um bocadinho. Se me pediste eu vou já carregar ali no botão "seguir". Oh não, espera! Está a dar-me uma cãibra no dedo. Tem que ficar para depois.

 - Colocar hashtags que não têm nada a ver com a fotografia. Imaginem uma fotografia de uma rapariga com um fato de neve que a faz parecer um boneco da Michellin em plena Serra da Estrela. Coloca hashtags do género #summer #girl #pinapple #miami #sexy. Verão não é, não estou a ver ninguém a levar "ananases" para a Torre e Miami fica um bocadinho mais ao lado. Um mapa era capaz de dar jeito. Estou só a dizer.

 - "Ai sou super popular no Instagram, tenho 8000 likes." e depois têm 70-100 gostos por foto. Hummm, será que foram gostos comprados a peso de ouro? O que se faz por um número de quatro dígitos no contador de seguidores...

 É muito tempo livre em frente ao ecrã do telemóvel, muitas estratégias e engenhos quase perfeitos. Não me identifico com nenhuma artimanha acima descrita. Talvez seja por isso que tenho "apenas" 1500 seguidores. Talvez seja por isso que tenho os seguidores mais fiéis que colocaram gosto porque quiseram e não porque foram incutidos a isso. Mas é engraçado ver estes truques todos em acção, divirto-me quase tanto como quando vou ao circo.










SHARE:

13 comentários

  1. Concordo contigo!
    Daí achar importante apenas partilhar o que, para mim, tem conteúdo e nem sempre fazer like ou comentar! Talvez seja por não usar essas artimanhas que o meu trabalho não é tão conhecido como gostaria! Mas prefiro ser assim e tudo o consigo ser às minhas custas e não com a "bênção" de quaisquer padrinhos! ;)
    Beijinho
    Cris

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É exactamente isso que eu penso. Se eu bajulasse ou andasse todos os dias a falar de marcas seria diferente. Mas eu quero que seja assim, como é neste momento. Sou eu mesma, dou aquilo que posso e sei que o meu trabalho é reconhecido pelos meus seguidores. É para eles que trabalho neste blog, não trabalho para as marcas. :)

      Grande beijinho!

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  2. Concordamos com tudo. E só queremos acrescentar que temos mesmo muita pena de todos os que roubam o trabalho dos outros e não sabem o que é o mérito de ter o seu próprio trabalho! E ainda dos supostos "bloggers" que existem somente para receber coisas. Destes temos mesmo muita pena porque não sabem o melhor do que é ter um blogue: a partilha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda existe aqui outra coisa: se eu escrevo um post com o mesmo tema que uma blogger conhecida estou a seguir-me pelas outras bloggers e a copiar temas (como se quem tem um blog de moda/lifestyle se pudesse afastar dos temas que também essas grandes bloggers falam. Não vamos inventar rigorosamente nada!). Existe muita gentinha capaz de tudo para conseguir entrar no "maravilhoso" mundo das bloggers e ser-se conhecida. Eu então fujo a sete-pés disso, quando me conhecem na rua fico toda envergonhada. ehehe

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Ana,
    Compreendo completamente o que dizer. Eu pessoalmente sigo apenas quem mais gosto, e tenho meia dúzia de pessoas a quem mais comento, porque me identifico realmente com a pessoa ou o seu estilo.
    Quase não sigo Bloggers conhecidas e por incrível que isso possa parecer, é raríssimo comentar um Post ou foto delas.
    Acho muito importante que uma Blogger siga apenas a sua essência e publique o que mais gosta e combina consigo, mesmo que lhe paguem para isso. Tanto é que quando procuro opinião acerca de um produto por exemplo, não tenho em conta a opinião de uma Blogger conhecida, pois tenho sempre a ideia que como está a ser paga não será transparente (espero que nem todos os casos sejam assim).
    Não nos conhecemos, mas gosto imenso de ti e da tua maneira de ser, talvez por sermos "parecidas".
    Beijinho e continua com o teu notável trabalho.
    Beijinho*
    MR<3
    @sagadaemigracao

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh M., que palavras tão boas de se ler! Eu também gosto muito de ti, ainda que não te conheça pessoalmente. Quem sabe um dia! :)
      Não quero fugir muito daquilo que estipulei inicialmente. Seria sempre eu, o meu estilo e a minha opinião sincera. Não me vou vestir como uma palhaça com peças que não conjugam umas com as outras e não fazem o meu estilo só porque vi isso no desfile da marca XPTO X ou Y. É a essência que conta e o resto pouco importa.

      Continuarei o meu trabalho e espero ver-te por aqui durante muitoooo tempo! :)

      Grande beijinho,
      Ana

      Eliminar
  4. Concordo com tudo em pleno e fartei-me de rir com o que escreveste.O meu instagram é privado,tenho uns100 (já tive um instagram com 500 e apaguei-o) seguidores e passo a vida a ver contador a subir e descer. Há pessoas que já cheguei a bloquear porque ora pedem para seguir,ora deixam de seguir,ora pedem mais umas 15 vezes depois de eu ter aceite umas 3.Haja pachorra! Eu sigo-te,comento quando tenho vontade,acho que não me segues e não é por isso que deixo de te seguir a ti...Enfim...mas eu também tenho o problema de ser muito eu mesma :) Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu Instagram já foi privado e deixou de o ser depois que comecei o Anna. Obrigada por me seguires, mesmo sem saber quem és. :P
      Existem manobras que eu não percebo e já deixei de fazer um esforço porque percebi que não vale a pena.

      Beijinho,
      Ana

      Eliminar
  5. Vim aqui parar enquanto andava a passear na internet e prendeste-me com este post. É que escreveste tudo o que eu digo aos sete ventos ahahah
    Obrigada!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Minha querida só agora vi este teu post e não podia estar mais de acordo com tudo que dizes, o que é é e não há cá paninhos quentes em ninguém e quem não gosta, vá andando.

    Bjinhos gata

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade minha gata! As verdades custam muito a ouvir (neste caso a ler) mas tem que ser, faz falta! ehehe

      Beijinho grande

      Eliminar

Blogger templates by pipdig