28 outubro 2015

Como nasceu o blog Anna Style&Living

 Acho que fazia falta um post um pouco mais pessoal. Tinha dois posts na calha sobre temas normais e dos quais falo habitualmente por aqui mas achei que devia dar um pouco mais de mim e ficarem a saber um pouco mais sobre a ideia inicial deste blog. Por isso, vou responder a algumas das perguntas que mais me fazem pessoalmente e via e-mail. Também me perguntam muitas vezes como começar um blog e como ter sucesso. O sucesso é o que menos importa. Foquem-se no blog e nas pessoas, o mérito vem depois.

1 - Como nasceu o blog?

 Antes de mais, tenho que dizer que o Anna não foi a minha estreia no mundo da blogosfera. Antes disso já tinha tido três blogues, todos eles muito específicos e com temas muito diferentes entre si. O que teve mais visibilidade foi o Rosa Chiclet, nome da minha marca (registada!) de Handcrafts. Falava sobre costura e fazia alguns vídeos com tutoriais. Coloquei a Rosa Chiclet de lado porque não era fácil conciliar o meu trabalho com as encomendas que tinha, e não eram poucas. O corpo deu o alerta e eu parei, com imensa pena minha.
 Como não conseguia estar quieta e sentia falta de partilhar o meu mundo na blogosfera decidi criar o Anna, onde posso falar de tudo aquilo que me apetece, com maior destaque para a maquilhagem e moda.


2 - Como chegaste até ao nome?

 Bem, isso foi a tarefa mais difícil. Todo o projecto estava planeado mas o nome que eu queria já estava a ser utilizado. Procurei e estavam todos ocupados, por vezes com um único post da era dos Afonsinhos. Era algo que me irritava solenemente. Nomes tão giros e ocupados por pessoas que criaram um blog só porque sim, é giro. Foi, seguramente, a pior parte e aquela que me deu maior desgaste.
 Depois de deitar fumo pelas orelhas optei por criar algo com o meu nome mas acrescentando-lhe uma letra para ser diferente. Não, o meu nome não se escreve com dois N´s e também não tenho raízes suecas ou ucranianas. Sou portuguesa.


3 - Só vives do blog?

 Nem pensar. Mesmo que isso fosse possível eu não iria optar por me dedicar única e exclusivamente ao blog. Não foi a isso que me propus. Também não criei o blog com o intuito de receber produtos grátis ou andar a pedinchar borlas e convites para eventos. Não sou assim e acho que essa não é a essência de ter um blog. As parcerias que fiz até agora foram as marcas que me contactaram e estou muito agradecida por isso mas daí a fazer vida disto nem pensar. Só agora começam a surgir imensos blogs por cá mas nada quando comparado com países como os Estados Unidos e Espanha, por exemplo.
 Tenho a licenciatura de Gestão de Empresas e o meu trabalho consiste em fazer a gestão de Logística e compras. Nada tem a ver com o blog e o maravilhoso mundo feminino.

4 - Onde vives?

 Muita gente envia-me mensagens a dizer "Vi-a na minha cidade, em tal sítio.". O que é engraçado é que são pessoas que também moram na minha cidade e pensam que eu vivo em Lisboa. Eu moro em Évora, sou alentejana de alma e coração. Estou dividida entre Évora e Lisboa, onde passo quase todos os meus fins-de-semana. Mas a minha semana é passada no Alentejo.

5 - Qual a diferença entre a Ana e a Blogger?

 Em primeiro lugar acho que ainda não tenho estatuto de blogger. Gosto mais de dizer que tenho um blog.
 A diferença não é nenhuma. Aquilo pelo qual me conhecem daqui é como eu sou fora do ecrã do computador. Não encarno personagens, não vivo de ilusões e não engano ninguém. Eu sou assim.
 Mas tal como na vida "real" ou me adoram ou me odeiam, não existe meio termo. A sinceridade e a frontalidade que me são características acabam por "manchar" um pouco a imagem que têm de mim. Eu digo muitas vezes que todos gostam muito e exigem sinceridade mas só até viverem isso na pele, enquanto a sinceridade é boa e reconforta. Tenho um feitio dos diabos e é uma ajuda enorme para conseguir tudo aquilo que quero. Se nos propomos a algo e temos um sonho devemos lutar com todas as nossas forças para o conseguir, nada cai do céu e é preciso trabalho e persistência.
 Tal como na minha vida pessoal como no blog eu sou muito exigente e perfeccionista. Tudo o que vocês podem ver no Anna foi feito por mim, idealizado por mim e assim vai continuar a ser.

6 - Quais as tuas inspirações?

 As pessoas com quem me cruzo na rua. São essas, que passam à minha frente de carne e osso e me cativam por algum motivo. Seja pelo estilo, pela segurança no andar, por alguma característica que me desperta a atenção. Normalmente são pessoas com um brilho próprio e que se destacam no meio da multidão por algum motivo. São a minha maior fonte de inspiração.
 Não devoro todas as revistas de moda onde os estilos mais retratados são estilos de passerelle. Não é propriamente o estilo mais confortável e conveniente para ir trabalhar ou andar na rua. Sigo algumas bloggers nacionais, não muitas, e internacionais. Por cá as bloggers com as quais me identifico e gosto mais do estilo são Ana Garcia Martins do blog A pipoca mais doce e Maria Guedes do Stylista. A nível internacional adoro a Alexandra do Lovely Pepa, a Chiara Ferragni do The Blonde Salad, a Olivia Palermo (para mim a miúda com mais estilo à face da Terra) e Lauren Conrad e a nível de beleza a Camila Coelho e a Alice Salazar.

7 - Qual o pior e o melhor de ter um blog?

 O melhor são, sem dúvida, as pessoas. Depois de começar o Anna já me cruzei com pessoas maravilhosas que me aconselharam e incentivaram sem pedir nada em troca. Isso para mim é impagável. Por vezes chegam perto de mim e perguntam se sou a Ana do blog, isso causa sempre um friozinho na barriga. Nem que seja só na minha cidade. As seguidoras que estão comigo desde sempre, e eu sei quem são. Uma a uma. Decoro os seus nomes e fico feliz por vê-las no blog e na página. Cada seguidor que chega é um motivo de felicidade para mim.
 O pior é que a moda e a maquilhagem são temas muito limitados. Não vos vou contar nada de novo nem inventei nada. Por isso acho que, de certa forma, nos andamos aqui a imitar umas às outras. Os temas são os mesmos, os produtos apresentados os mesmos, etc. Acho que para quem nos segue isso acaba por ser maçador e acham que nos estamos a repetir.

8 - Já atingiste todos os teus objectivos?

 Não. Atingir todos os objectivos a que nos propomos é matar uma parte de nós. Matar o nosso lado sonhador e que mantem a chama da vida acesa. Reciclar os objectivos já alcançados e pensar em novas formas, novos sonhos e querer sempre mais e melhor. Não é vergonha querer mais e sempre melhor. Vergonha é arrependimento por não ter lutado.

 Espero que tenham gostado desta "conversa" mais pessoal e é esta Ana que vou continuar a ser. Agora e sempre. Estou sempre a melhorar o blog, estou a apostar em melhores fotografias e a aprender novas técnicas e esta semana tenho sido exemplar, um post por dia. Faço-o por vocês, pela confiança que depositam em mim ao serem seguidoras deste blog tão pequenino.


SHARE:

2 comentários

  1. É sempre bom ficar a conhecer um pouco melhor de quem está por detrás do blogue. Podemos não ter muito tempo para estar sempre a comentar os blogues que mais gostamos, mas estamos sempre de olho no teu. Eu (Ele) não tanto, admito, mas porque não há tantos assuntos para homem... Mas eu (Ela) sou assídua e trago-o comigo ahah
    Muitos parabéns pelas tuas conquistas e venham por aí muitas mais!

    ResponderEliminar
  2. Adoro cada palavra, é perceptível que cada uma carrega tamanha sinceridade! É mesmo transparente, uma inspiração! O blog está cada vez melhor, se é que é possível!
    É enorme, Anna!
    Beijinho,

    Marlene Fialho Rodrigues

    ResponderEliminar

Blogger templates by pipdig