14 maio 2015

O Mundo está louco!

 Há uns anos tomei uma decisão: ver o menos possível de televisão. Sou sensível a certas notícias que passam nas televisões e algumas delas deixavam-me apavorada. Sou mais feliz assim e vou sabendo da actualidade através das edições online dos jornais portugueses. Conheço bem a realidade da nossa sociedade, que está podre por sinal, e acho que não tenho que ser massacrada vezes sem conta com a mesma notícia. 
 Ontem, tal como partilhei na página de facebook, fiquei nauseada e terminei a minha refeição com mais de metade da comida no prato. Todos já ouviram falar e devem ter sido invadidos através de telejornais e redes sociais no caso do jovem da Figueira da Foz que foi vítima de agressões por parte de um grupo de jovens, maioritariamente constituído por raparigas. Mas o que se passou pela cabeça daquele jovem para se sujeitar àquele acto de monstruosidade e não se defender, gritar por ajuda. O que se passa na cabeça dos jovens de hoje em dia? Eu não percebo, não consigo perceber.
 No meu tempo não havia bullying. No meu tempo davas e levavas. Cheguei a dar um murro de punho fechado para me defender aos 12 anos. Ainda hoje me pergunto se a rapariga ficou com o maxilar inteiro. Ficámos por ali e não houve queixas aos pais. Era um assunto nosso e ficou selado com um murro que eu dei. Arrependo-me? Era miúda e sempre me ensinaram a defender-me por isso não, não me arrependo. Eu sou do tempo (e não é tão longínquo quanto vocês pensam) que o Professor era visto como uma figura para respeitar ao máximo. Hoje em dia são ameaçados pelos Pais. Como vão ganhar o respeito dos mais novos? 
 Chocou-me ver aquela miúda, Constança de seu nome, a esbofetear o rapaz sem dó nem piedade. Agora é assim que se resolvem os problemas?  "Como tu até me metes nojo eu vou bater-te com as minha amigas e há-de haver outra gaja a gravar para todos verem". Quem criou isto do Bullying? Foram os psicólogos? Os professores? Os educadores? É só um nome pomposo para chamar por outro nome aquilo que eu classifico de má educação e falta de valores morais. Excesso de mimo e vida facilitada. 
 Perguntaram-me hoje se eu achava que a culpa é dos pais. Sinceramente tenho as minhas dúvidas. Os Pais são os principais responsáveis na educação dos filhos, não é isso que está em causa. Mas a maldade nasce com a pessoa e nisso não há educação que lhe valha. Conheço casos de famílias difíceis com consumo de alcool e drogas e os jovens são habituados a viver naquele ambiente. Isso não quer dizer que mais tarde esse jovem se torne num alcoolico drogado. Muitas vezes são casos de sucesso e consegue seguir o caminho mais correcto. A maldade nasce connosco e o caso daquelas jovens da Figueira da Foz é caso disso.
 Sou a favor de mais disciplina em casos como estes. As culpas são atiradas para cima dos progenitores que muitas vezes não sabem o que o filho anda a fazer. Devem ser punidos, como adultos. Eu sou a favor disso. "Ah e tal ainda é uma criança!" A sério? Engraçado, não me pareciam crianças a maltratar o miúdo, pareciam-me animais. Sinceramente não estou preocupada se as miúdas sofrem ameaças ou não, desenrasquem-se. Estou preocupada com o futuro daquele jovem que foi humilhado perante um país inteiro e que vai ficar com traumas para o resto da sua vida. Estou preocupada com o sentimento que os pais estão a sentir neste momento. Se fosse o meu filho eu virava o país ao contrário se fosse preciso para ser feita justiça. Se alguma daquelas miúdas fosse minha filha eu mostrava-lhe o que era força quando a apanhasse. 
E o que lhes vai acontecer? Nada. Rigorosamente nada. Vão ser ouvidos pela polícia e o caso é arquivado. 
 Hoje vejo outra notícia que um jovem é encontrado morto em Salvaterra de Magos, muito possivelmente espancado até à morte por outros rapazes da mesma idade. Eu pergunto-me vezes sem conta: que tipo de monstros são estes que estamos a criar? É neles que vamos depositar confiança num futuro próximo? A justiça continuará a actuar de forma impávida e serena em casos como estes que resultam em traumas e muitas vezes em mortes? Perguntas para as quais não tenho respostas.


SHARE:

2 comentários

  1. Confesso que fiquei muito chocada, com um nó no estomago.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes miúdos de hoje em dia vivem em torno das redes sociais e de série juvenis idiotas. Acham cool serem rufias e mal educados. Eu dava-lhe o tratamento devido e não era com pancada. Continuo a afirmar que a educação não se faz com pancada mas sim com exemplos, desde pequenos.

      Eliminar

Blogger templates by pipdig