30 outubro 2014

Vencer a gula

 Até há bem pouco tempo atrás eu era uma das pessoas mais gulosas. Herdei isso do meu Pai que era um guloso assumido. Infelizmente deixou de o ser, involuntariamente, há cerca de 5 anos atrás quando lhe foi diagnosticado Diabetes. Adaptou-se super bem ao novo estilo de vida e quando se porta bem e tem os "diabretes" controlados até pode comer um pastel de nata. Sei que isso também me vai tocar a mim porque é hereditário e já me ando a prevenir. 
 Se antes não me evitava minimamente e comia doces e outras porcarias como se não houvesse amanhã, hoje já penso de maneira diferente. Talvez seja a idade, talvez seja a consciência a pesar. O grande desafio começa no supermercado e na paragem obrigatória no corredor das gomas e chocolates. Se antes me babava do inicio ao fim do corredor e ficava na dúvida sobre o que levar, hoje em dia fico-me só pelo olhar e já fico satisfeita, saciada. É tudo uma questão de método, disciplina e consciência. Se não levarmos a gula connosco para casa não há o perigo de nos vencer uma e outra vez. 
 Há uns meses atrás eu tinha um pote gigante que chamava "o pote da desgraça". Havia uma panóplia sem fim de guloseimas que faziam as delícias de qualquer criança. E as minhas também. Desde rebuçados, a caramelos, chocolates, gomas, pastilhas. O que restou foram as pastilhas elásticas que nos momentos de stress ajudam a acalmar os nervos. Se não entrar nada de pecaminoso na nossa casa muito dificilmente vamos cair em tentação. 
 Consegui alterar os meus hábitos alimentares e comer mais sopa e fruta que tanta falta faz. Estou a comer em média quatro peças de fruta por dia (um peça de fruta ao almoço, duas ao lanche e uma depois de jantar). Tento preparar o meu lanche apenas com alimentos saudáveis: iogurtes com pouca gordura, fruta, bolachas de arroz, frutos secos (dão imensa energia), cenoura crua e de quando em vez um croissant com fiambre. De fora ficam os pãezinhos brioches com pepitas de chocolate, os bolos, o pão com doce e os chocolates. São opções difíceis de tomar mas que quando interiorizadas não custam tanto, acreditem.
 Hoje percebi que estava realmente mudada e fiquei surpreendida comigo mesma. Almocei em pouco tempo e não consegui preparar o meu lanche. Comprei um bolo com creme e duas dentadas depois estou arrependida. Preferia comer uma peça de fruta ou um iogurte. Aliás, o que agora calhava mesmo bem era uma torrada sem manteiga e com fiambre e um sumo natural de manga e laranja. 
 Arranjo sempre uma inspiração para me ajudar nas minhas decisões e neste caso é mais uma lição. Não consigo imaginar-me a picar os dedos todos os dias (já experimentei uma vez e foi doloroso) e a estar dependente de medicação até morrer. É preferível habituar-me desde já a uma ingestão reduzida de açúcares e preferir o que é saudável e essencial ao nosso organismo. 


Fonte: http://www.susannahskitchen.com/

SHARE:

3 comentários

  1. Eu sou uma gulosa assumida! É-me muito difícil resistir a doces, mas tento fazer uma alimentação o mais equilibrada possível, complementando com exercício físico.

    Beijinhos,
    http://mrswonderlandby2.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que ultimamente tenho apanhado "overdoses de açúcar" e o meu organismo ficou zangado comigo. Falta-me o tempo para me dedicar ao exercício físico mas com força de vontade tudo se consegue! :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Já eu perco-me com doces e não tanto como bem me apetecia


    www.tarasemanias.pt

    ResponderEliminar

Blogger templates by pipdig