15 outubro 2014

Mulheres que elogiam mulheres

 Este título pode parecer um pouco estranho mas tem tudo a ver com aquilo que hoje vou escrever neste post. Nestes últimos dias um dos assuntos que mais se fala é o desfile da actriz Jessica Athaíde para uma conhecida marca de biquinis. Ou melhor, do que mais se fala é do corpo da actriz e das suas formas. Surgiram alguns comentários mais ofensivos acerca da boa forma da actriz e das suas curvas que para muitos não se adequam à passerelle. A primeira coisa que eu posso dizer é que existe muita inveja a correr no sangue das mulheres portuguesas.
 Conheço mulheres de outras nacionalidades e fazendo uma breve comparação com a mulher portuguesa posso adiantar que nós somos aquelas que pior tratamos as pessoas do mesmo sexo. Somos más umas para as outras e não perdemos uma oportunidade de rebaixar e criticar o corpo de outra mulher. Ora porque é baixa, ora porque parece um armário, se é magra e parece um esparguete, se é gorda e não se enxerga ou então se tem o peito pequeno demais ou grande de mais ao ponto de parecer associada da Parmalat. Estes são os comentário que mais se ouvem nas bocas das mulheres e isso só acontece porque não temos confiança no nosso corpo e criticar a mulher que passa por nós é uma forma de apaziguar a nossa insegurança. Eu muitas vezes fui criticada por ser magra ou por ter o peito pequeno. Quem fazia esse tipo de comentários achava que era uma maneira de me chatear ou levar a minha segurança ao zero. Posso afirmar que nunca conseguiram porque aprendi a gostar do meu corpo e a sentir-me fantástica com ele. Não tenho o peito pequeno, tenho o peito totalmente proporcional ao resto do meu corpo. Não é por ser magra que não tenho curvas, tenho as curvas que preciso de ter para me sentir bem. Sinto-me bem com o meu corpo, posso vestir tudo o que eu quiser e ninguém pode abalar a minha auto-estima.
 Mas é isso que falta à mulher portuguesa: auto-estima. Preocupam-se muito a apontar o dedo a outras pessoas quando deveriam passar 30 minutos em frente ao espelho a aprender a apreciar o seu corpo. Acho que a Jessica tem motivos mais que suficientes para ter a auto-estima bem lá em cima e não deve pensar em comentários de gente medíocre que só pensa em atingir a felicidade alheia. Também não vou dizer que ela é que tem corpo de passerelle e as modelos são demasiado magras. Cada uma é como é e ninguém deve criticar, cada corpo é um corpo e a beleza da mulher não se vê nas poucas ou muitas curvas que têm. Minto, a beleza da mulher consegue ser apreciada com as curvas..mas do cérebro. Essas sim são as mais bonitas que podemos ter e é com essas que devemos ir à luta todos os dias.
 Digo quase todos os dias que preferia trabalhar só com homens porque não existe esta rivalidade entre o sexo masculino. Consigo ter conversas inteligentes com homens, conversas muito para além do "Já viste o que aquela hoje traz vestido?" ou "Não deve ter percebido que o rabo dela não cabe naqueles jeans". Os homens estão pouco interessados nos outfits dos amigos e colegas e não perdem tempo com conversas desnecessárias e fúteis.
 Deixem de ser cabras (desculpem o vocabulário mas tem que ser) umas para as outras e aprendam alguma coisa com os homens. Aprendam a ter relações sem qualquer tipo de mesquinhez e maldade, aprendam que existem mulheres com corpos melhores que o vosso e sobretudo que a beleza não se mede nos Kgs que a balança marca. O elogio verdadeiro e desprovido de qualquer ponta de inveja é das coisas mais belas que existem. É bom quando recebemos um elogio de um homem mas precisamos de receber também elogios de mulheres. A inveja é de uma brutalidade que quase cega quem cobiça o corpo ou as roupas de outrém. Não se deixem vencer pela inveja e aprendam a elogiar-se umas às outras, elogios verdadeiros. Hoje cheguem perto de uma mulher e digam-lhe que está com bom aspecto, que está linda e que está impecavelmente bem vestida e vão sentir-me mais mulheres.


Go Jessica, és uma brasa!

SHARE:

4 comentários

  1. É assim mesmo. A diferença está em que os homens não fazem este tipo de comentários e as mulheres são do pior. Aliás este verão assisti a uma cena na praia em que duas amigas se separam do resto do grupo por um pouco e as que ficam cortam na casaca sem dó nem piedade; e quando voltam são todas as maiores amigas... O que é isto minha gente? Pobreza de espirito, só pode. Quanto ao resto digo-te que este comportamento é muito Mediterrânico e nada do Norte da Europa. Qual é o problema de uma gaja ser gaja? Inveja, dor de cotovelo... Uma tristeza!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma tremenda pobreza de espírito e sobretudo baixa auto-estima. Acham que a solução passa pelo "cortar na casa" da amiga e não percebem que a solução é somente a aprendizagem do amor próprio. Se perdessem tempo a amar-se a si mesmas não teriam sequer tempo para pensar em beleza alheia. Há dias que me custa imenso ser mulher e temos que ter os tomates que não temos para lidar com certo mulherio. Prefiro falar com homens e divirto-me imenso com a sua simplicidade e verdadeiro sentido da amizade mas depois há o reverso da medalha "Aquela dá-se tão bem com os homens, é uma valente cabra é aquilo que ela é!". Mas como estou ocupada a viver a minha vida não tenho tempo para dar importância! ;) Beijinho

      Eliminar
    2. Não és só cabra, também és uma oferecida e um não te chega!! :D

      Eliminar
    3. ahaha sempre assim foi e sempre assim há-de ser! Ser mulher é cansativo mas aturá-las é desgastante! ;)

      Eliminar

Blogger templates by pipdig